sexta-feira, março 31, 2023

Idiomas Chinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianKoreanPortugueseSpanish

spot_img
InícioNotíciasMúsicaColeção brasileira CryptoRastas anuncia criação de selo musical com NFTs

Coleção brasileira CryptoRastas anuncia criação de selo musical com NFTs

Foco será fortalecer a comunidade e retomar o sentimento de colecionador ao comprar NFTs musicais

A coleção brasileira de NFTs CryptoRastas anunciou o lançamento de seu selo musical na segunda-feira (16), o CryptoRastas Music Label. A primeira música do selo a ser disponibilizada como NFT, está com lançamento previsto para o dia 27 de janeiro, às 14h20 de Nova Iorque e 18h20 de Brasília, e será o título “Welcome to Crypto”. 

A canção já é conhecida por membros da comunidade CryptoRastas, uma vez que ela é tida como a música tema do ecossistema. O criador do CryptoRastas, Marcus Menezes, mais conhecido como Marcus MPC, compartilhou mais detalhes da coleção com o Cointelegraph Brasil.

Apenas 100 NFTs

A princípio, serão 100 NFTs com a canção, cujo preço inicial é de 0,05 ETH. Primeiro, apenas detentores dos NFTs da coleção CryptoRastas poderão adquirir a canção Welcome to Crypto em sua versão tokenizada. Após uma semana, caso os NFTs não tenham se esgotado, a venda será aberta ao público.

A inspiração por trás da criação do CryptoRastas Music Label vem do hábito de colecionar músicas em mídias físicas, como vinis, CDs e fitas cassete, salienta o comunicado do selo enviado à imprensa. 

“Quando se compra um vinil raro, não é apenas pela música. É também por elementos imateriais que o envolvem, como sua raridade, sua data de lançamento, a arte da capa, se é original. A ideia do selo é trazer este prazer de se colecionar música para o meio digital”, diz Marcus MPC. A intenção, acrescenta, é retomar a sensação de possuir um disco.

O setor de NFTs vinculados a produções musicais tem crescido, especialmente pela capacidade de gerar maior receita aos artistas. O famoso DJ Steve Aoki disse, no início de 2022, que fez mais dinheiro vendendo NFTs relacionados às suas obras do que com royalties musicais. 

Para o selo CryptoRastas Music Label, porém, esse não é o maior objetivo. “Muitos projetos de NFTs musicais focam em utilidades e geração de lucro, como a distribuição de porcentagem dos royalties do streaming ou publishing. Mas, na nossa visão, isso vincula demais esses projetos ao mercado tradicional da música”, comenta Marcus MPC no comunicado enviado à imprensa.

O criador do CryptoRastas acrescenta que esse modelo, na maioria das vezes, não funciona para artistas do underground. O foco do selo é a relação direta entre artistas e seus verdadeiros fãs.

Fortalecendo a comunidade

Além de criar um vínculo entre artistas e fãs, e retomar a prática de colecionar obras musicais, as vendas do selo CryptoRastas Music Label também tem como objetivo fortalecer a comunidade. No anúncio do selo, foi revelado que 50% do valor das vendas dos 100 primeiros NFTs será destinado à DAO do ecossistema. Os membros, por meio de votação, poderão decidir o que fazer com os valores.

Para as próximas coleções de NFTs musicais, ao menos 5% das vendas terão o mesmo destino. Além disso, agora em entrevista ao Cointelegraph Brasil, Marcus MPC confirmou que o modelo de distribuição das próximas coleções seguirá disponibilizando as canções primeiro para detentores dos NFTs da coleção CryptoRastas. 

Ainda sobre os próximos lançamentos do selo, já foi anunciada a participação de veteranos do reggae, como Ranking Joe e Cedric Myton do The Congos, e os indicados ao Grammy Jesse Royal, Etana e Kabaka Pyramid.

Além de nomes já consagrados, o CryptoRastas Music Label abrirá espaço para novos talentos demonstrarem o seu potencial, diz Marcus MPC. “Temos planos de para receber participação de outros artistas. Assim como existe na coleção ArtBlocks, haverá uma coleção com curadoria do CryptoRastas, e outra aberta, com mais artistas”, conclui Marcus.

Via cointelegraph

NOTÍCIAS RELACIONADAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

+ LIDOS