segunda-feira, julho 15, 2024

Idiomas Chinese (Simplified)EnglishFrenchGermanItalianKoreanPortugueseSpanish

InícioNotíciasAtualização no Ethereum pode permitir rodar nós em telefones celulares

Atualização no Ethereum pode permitir rodar nós em telefones celulares

Pelo fato de que poucos conseguem rodar um nó completo, Buterin destaca que ainda há bastante centralização na rede

Justamente pelo fato de que, poucos conseguem rodar um nó completo, Buterin destaca que ainda há bastante centralização na rede. Nesse sentido, Buterin destacou seis problemas-chave que precisam ser abordados para resolver a centralização da rede Ethereum.

Vitalik Buterin, co-fundador do Ethereum, acredita que após futura atualização no Ethereum será possível executar nós completos em telefones celulares. Isso ajudaria a descentralizar a rede e melhorar sua escalabilidade. Durante a Korea Blockchain Week, Buterin discutiu os desafios de descentralização e escalabilidade que o Ethereum enfrenta atualmente.

Nós completos são dispositivos de computação que validam, e verificam, todas as transações e contratos inteligentes na blockchain Ethereum. Atualmente, para rodar um nó completo, são necessárias especificações de hardware, incluindo um SSD maior que 2TB e 16 GB de RAM. A maioria dos nós completos está hospedado em servidores centralizados devido a essas exigências, como os servidores da Amazon Web Services.

Justamente pelo fato de que, poucos conseguem rodar um nó completo, Buterin destaca que ainda há bastante centralização na rede. Nesse sentido, Buterin destacou seis problemas-chave que precisam ser abordados para resolver a centralização da rede Ethereum. Ele se referiu ao roteiro do Ethereum, que inclui “clientes sem estado” usando “Verkle Trees”.

Desse modo, se referindo como uma maneira de reduzir significativamente os requisitos de hardware para executar nós completos na rede. Com clientes sem estado, seria possível rodar um nó sem precisar armazenar centenas de gigabytes de dados.

Problemas técnicos

No entanto, Buterin também mencionou que a implementação de clientes sem estado vem com “problemas técnicos”, para isso teria que haver atualização no Ethereum, entre outras medidas. Nesse sentido, que poderiam ser resolvidos mais para frente, no futuro, Buterin chuta levar uma janela média de tempo de 10 a 20 anos.

Além disso, Buterin abordou outras preocupações de centralização, incluindo a necessidade de uma distribuição mais ampla de ETH sob stake, e tornar a documentação mais fácil para desenvolvedores e usuários.

Ele também enfatizou que a escalabilidade continua sendo o problema mais urgente, com progresso sendo feito através da adoção de soluções de rollup, especialmente aquelas baseadas em provas de conhecimento zero.

Via blocktrends

NOTÍCIAS RELACIONADAS

+ LIDOS